Saiba como reduzir as principais doenças ocupacionais com meditação

Trabalhar em cargos importantes de grandes corporações traz realização pessoal e profissional. Mas, você sabia que o ritmo de trabalho intenso, a busca por resultados imediatos e de alto nível, prazos pouco flexíveis e tantos outros fatores do tipo podem provocar doenças ocupacionais?

O estresse, a ansiedade e a depressão — que são algumas das principais doenças ocupacionais — estão entre as principais causas de afastamento do trabalho. Dessa maneira, o problema traz consequências tanto para os trabalhadores como para a empresa.

Por isso, mostraremos a seguir uma prática que pode ajudar a reverter esse quadro: a meditação. Ela melhora a disposição dos colaboradores e reduz a abstenção em decorrência das doenças ocupacionais. Confira!

O que são doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais são doenças relacionadas ao trabalho que decorrem, necessariamente, do exercício de uma profissão e que afetam a saúde do trabalhador. Isso significa que há uma relação direta entre a atividade que a pessoa desempenha no trabalho e o acometimento à sua saúde. Elas podem afetar a saúde física ou psicossocial do trabalhador.

Alguns exemplos de doenças ocupacionais que afetam a saúde física são:

  • lesões por esforço repetitivo (LER);
  • doenças musculares, ósseas, articulares;
  • doenças respiratórias em trabalhadores de minerações;
  • surdez relacionada a ambientes de trabalho com muito ruído.

Já as doenças ocupacionais psicossociais são aquelas de ordem emocional normalmente relacionadas a ambiente estressante de trabalho, desequilíbrio entre demanda e capacidade do trabalhador, inseguranças, erros de administração, alta competitividade, entre outros.

Esse ambiente inóspito constante leva o trabalhador a estar em um constante estado de alerta e tensão, que pode desencadear doenças como:

  • síndrome de burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional;
  • depressão;
  • estresse crônico;
  • ansiedade generalizada;
  • distúrbios do sono.

Como a meditação combate as doenças ocupacionais?

Nesse contexto, descobriu-se ao longo do tempo por meio de estudos que a prática da meditação pode ajudar no combate e tratamento das doenças ocupacionais, principalmente aquelas de ordem psicossocial. Logo que se começou a estudar meditação, na década de 1970, ficou comprovado que a prática traz relaxamento físico e mental para as pessoas que a praticam com frequência.

Contudo, estudos mais recentes demonstram que, além de relaxar, a meditação é benéfica para quem trabalha em ambientes corporativos, já que ajuda a combater especificamente a depressão, o estresse e a ansiedade, além de aliviar dores crônicas.

Uma pesquisa divulgada em 2014 pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, constatou que a meditação — em pacientes que não apresentavam grau elevado da doença — foi tão eficiente para aliviar sintomas de ansiedade e depressão quanto antidepressivos.

Os resultados são fruto de 47 estudos clínicos, que envolveram 3.515 pacientes, e atestam a eficácia da meditação de plena consciência feita diariamente e por cerca de 30 minutos.

Quais os benefícios da meditação no ambiente corporativo?

Além de ajudar no tratamento de doenças ocupacionais, como as citadas acima, a prática frequente da meditação pode trazer diversos outros benefícios para o ambiente de trabalho.

Melhora o foco e a atenção

A meditação tem o potencial de melhorar de forma geral o foco e a atenção dos praticantes.

Um estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que a prática constante da meditação ajuda a controlar um tipo de onda cerebral que é acionado quando vemos informações que causam distração. Em outras palavras, a meditação é eficiente para manter o foco no trabalho.

Outro estudo, realizado no Brasil, apresenta resultados semelhantes. Segundo a bióloga Elisa Kozasa, membro do Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einsten e uma das maiores pesquisadoras dos impactos da meditação na saúde, as conclusões do estudo mostram que o cérebro de pessoas que praticam meditação regularmente é mais eficiente.

Isso ocorre porque ele precisa ativar menos regiões para realizar uma tarefa, se comparado ao de pessoas que não meditam. Assim, desenvolvendo essa vantagem, é possível aumentar a produtividade no trabalho e atingir metas mais facilmente.

Auxilia na tomada de decisões

A prática da meditação pode auxiliar na tomada de decisões no ambiente de trabalho de diversas maneiras.

Primeiramente, meditar ajuda a mente a se tornar mais calma e sadia, deixando-a mais eficiente e com mais agilidade no processamento das informações. Esses quesitos favorecem uma tomada de decisões mais rápida e certeira.

Outro ponto é que um estudo realizado nos Estados Unidos mostrou que as pessoas que praticam regularmente a meditação têm uma melhora na cognição. Aspectos como funcionamento executivo, memória de trabalho e processamento visuoespacial tiveram uma melhoria significativa.

Aumenta a criatividade

Um estudo realizado na Holanda indicou que certas técnicas de meditação podem deixar as pessoas mais criativas. O estudo pesquisou a influência da meditação em dois quesitos muito importantes para o desenvolvimento da criatividade: o estilo de pensar convergente e o estilo divergente.

O estilo convergente consiste no uso de várias palavras para se chegar a uma ideia. Já o estilo divergente permite que diversas ideias sejam relacionadas a um objeto específico. O estudo mostrou que a meditação aberta (sem um foco específico de atenção) ajudou os participantes a gerarem mais ideias novas após a sua prática.

Facilita os relacionamentos interpessoais

A meditação pode facilitar os relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho, pois tem o potencial de:

  • melhorar o bem-estar psicológico;
  • promover emoções positivas;
  • ajudar na autorregulação;
  • diminuir o estresse.

Pessoas que estão se sentindo bem têm muito mais paciência e abertura para lidar com os outros, tanto na vida pessoal como na vida profissional. Uma comunicação clara e respeitosa é essencial para o entendimento entre os colaboradores e a manutenção de um ambiente de trabalho saudável.

Outros benefícios da meditação para o trabalho são:

  • ajuda na realização de atividades multitarefa;
  • melhora qualidade do sono;
  • aprimora a memória;
  • reduz os pensamentos vagos.

Qual a tendência mundial da meditação no ambiente de trabalho?

Grandes empresas vêm adotando a prática da meditação em ambientes de trabalho. Facebook, Apple e Google, por exemplo, já oferecem programas e espaços de meditação para seus colaboradores. Na Europa, a meditação em ambientes corporativos também tem se tornado cada vez mais comum.

A Associação Americana de Psicologia (APA) aponta que as empresas estão tomando consciência de que elas desempenham um importante papel para que seus funcionários se sintam bem, física e mentalmente.

Com o ritmo cada vez mais acelerado nos ambientes de trabalho, a meditação tende a se tornar tendência nas grandes corporações que prezam pela saúde mental de seus profissionais e querem continuar se destacando no mercado.

Afinal, sem estresse, sem ansiedade e sem depressão, cria-se um ambiente mais leve, com profissionais aptos a tomarem melhores decisões e a buscar melhores resultados a fim de garantir o sucesso do empreendimento.

Agora que você sabe o que são doenças ocupacionais e como a meditação pode ajudar a combatê-las, que tal começar essa prática no seu ambiente de trabalho? Entre em nosso site e conheça nosso programa corporativo de prática de meditação!

In doenças ocupacionais