Como meditar? 9 dicas práticas para começar a praticar a meditação

Não é novidade para ninguém que a meditação é uma prática bastante benéfica para todos — desde adultos até crianças. Porém, um dos principais desafios está em saber como meditar e, principalmente, como evitar a procrastinação.

In como meditar

Atenção x Concentração: entenda qual é a diferença

Quem busca por treinamentos que ofereçam resultados comprovados e deseja crescer profissionalmente sabe:   a meditação nas empresas  só traz benefícios. Entre outras coisas, melhora o humor e o comportamento, além de evitar problemas de atenção e concentração. 

Pode não parecer, mas estar atento e ficar concentrado não são a mesma coisa, embora sejam igualmente importantes. Estar atento é poder perceber os detalhes da atividade que você faz no momento. Já a concentração é a capacidade de manter o foco na atividade realizada. Prezar por ambos pode evitar, entre outras coisas, um estresse desnecessário e afetar positivamente o trabalho e os estudos.

Acompanhe as diferenças entre ambos e aprenda a solucionar os problemas de atenção e concentração.

Concentração

Um exemplo é quando você começa a estudar e se lembra: é preciso fazer uma atividade que não tem nada a ver com os estudos. Isso é falta de concentração.

Parece difícil controlar o próprio pensamento, mas é possível evitar esse tipo de situação. Prepare um planejamento de sua rotina diária. Defina horários de trabalho, estudo e outras atividades. Com tempos pré-determinados, o cérebro manterá o foco com mais facilidade, independentemente da atividade que esteja sendo realizada.

Preste atenção, também, em outros fatores que podem prejudicar a concentração: fome, sede, calor ou frio e vontade de ir ao banheiro são demandas fisiológicas. É natural que o cérebro exija isso.

Vale a pena perceber outros fatores externos que são fonte de distração. Anote outros compromissos para evitar se lembrar da necessidade deles durante determinada atividade. Coloque seu celular no silencioso e desative notificações desnecessárias do computador.

Atenção

Como já dito, a atenção é a capacidade de perceber os detalhes da atividade que você faz no momento. Por exemplo, você conseguiu prestar atenção em tudo que você leu até agora neste texto? Isso é estar atento.

Essa sensação é afetada pelas emoções. Segundo um estudo da Universidade do Porto, a forma como as pessoas se sentem afeta o raciocínio, a comunicação e a atenção. Estar feliz, triste ou com raiva, portanto, afeta a capacidade de se ater aos detalhes.

A falta de atenção é prejudicial no trabalho quando, por exemplo, você começa a ler um relatório e percebe que não absorveu nada do que seus olhos viram.

A alternativa é tornar sua atividade mais interessante. No caso do relatório, leia aos poucos. Se for possível, alterne partes interessantes com as maçantes. Sublinhe ou destaque o que for de seu maior interesse. Dessa forma, a atividade fica mais dinâmica e, consequentemente, seu cérebro passa a estar mais atento.

Alerta x Concentração e meditação

Tanto a atenção (perceber os detalhes da atividade que você faz), quanto a concentração (foco naquilo que é feito) podem ser beneficiadas com uma solução simples: a meditação.

Podemos entender a meditação, entre outras coisas, como um afastamento daquilo que não é importante. É uma técnica de relaxamento profundo capaz de deixar o estresse longe, por exemplo.

A meditação aumenta a capacidade de atenção e concentração. Deixa quem pratica com mais energia, livre de eventuais distúrbios de sono, com sua pressão sanguínea controlada e a sensação de satisfação pessoal.

Os problemas de atenção e concentração

Embora esses estados sejam diferentes, eles estão interligados. A falta de atenção pode afetar a concentração e vice-versa. Além disso, ocorrem diversos problemas nessas áreas.

Para evitá-los ou contorná-los, o melhor é explorar as suas razões. Na sequência, veja quais são as principais causas para as dificuldades nesse sentido.

Ambiente desorganizado

Um experimento da Universidade de Chicago Press foi feito com 100 estudantes. Um grupo foi exposto a um espaço arrumado e o outro, a um bagunçado. Após, foram solicitados para desempenhar uma missão desafiadora. Aqueles que passaram pelo local organizado dedicaram mais tempo à tarefa, que não tinha solução.

Isso demonstra que ter um ambiente desorganizado é uma das razões para os problemas de concentração e atenção. Ao deixar o espaço bem arrumado, os impactos são positivos.

Noites de sono ruins

De acordo com um estudo da Universidade de Turku, a privação de sono prejudica diversas funções cognitivas. Entre elas, estão a atenção e a memória de trabalho. Pelos resultados, foi possível verificar que quem dorme menos que o necessário, em geral, fica mais disperso.

Além da quantidade de horas de sono, a qualidade desse descanso também influencia as funções. Acordar a todo instante, por exemplo, prejudica as capacidades cognitivas de forma semelhante.

Estresse

O estresse é uma condição que afeta mais de 90% da população mundial. Como modifica o padrão cerebral e o seu funcionamento, é uma das causas de problemas de atenção e concentração.

Pesquisadores da Universidade de Düsseldorf descobriram que níveis maiores de estresse levaram à maior ocorrência de erros e falta de atenção na execução de tarefas.

Ao mesmo tempo, a condição não é necessariamente ruim. Um estudo conduzido no Haworth Human Performance Lab indica que o nível certo de estresse ajuda a aumentar o foco e a conclusão de tarefas com prazos específicos. Então, é essencial saber dosar tal condição.

Multitarefa

A cultura da multitarefa promete melhores resultados de produtividade. No entanto, o processo é menos oportuno do que parece.

Segundo a Universidade de Stanford, fazer várias coisas ao mesmo tempo dificulta a concentração em uma só obrigação. Os impactos são tão intensos que pesquisadores das Universidades de Sussex, College London e de Tóquio descobriram que quem é multitarefa tem menos massa cinzenta. Como resultado, o desempenho cognitivo é afetado.

Falta de planejamento do tempo

De acordo com Stephen Covey, autor do livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, organizar o período dedicado a cada tarefa é essencial. Ter uma rotina bem definida é parte do sucesso para garantir melhor produtividade.

Em contrapartida, não planejar os horários compromete o foco e a atenção. Falta visibilidade sobre o dia e as exigências, o que atrapalha o fluxo de trabalho. Deixar que o dia seja improvisado, portanto, é um grande vilão.

Como contornar os problemas de atenção e concentração

Para evitar a perda na performance, é essencial reduzir ou eliminar a influência dos fatores prejudiciais. Organizar a rotina e o espaço de trabalho, assim como dormir melhor são aspectos relevantes. Diminuir o nível de estresse e evitar a multitarefa também são boas possibilidades.

Além disso, deu para ver que a meditação é essencial no processo. Com um bom programa, é possível direcionar o cérebro para o que importa. A técnica Mindfulness, destacadamente, é positiva. Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, ela ajuda a diminuir a distração da mente e a aumentar as funções cognitivas. Isso leva a mais foco, atenção e produtividade, além de a menos erros.

Mais do que entender a diferença entre os termos, explorar os motivos dos problemas de atenção e concentração é fundamental. Com esse conhecimento, será mais fácil melhorar o funcionamento do cérebro e os resultados atingidos.

Como a multitarefa é uma grande vilã, aproveite para entender por que não dá para fazer tudo ao mesmo tempo.

In estado de alerta x concentração, problemas de atenção e concentração

Afinal, o autoconhecimento ajuda no crescimento profissional?

Olhar para dentro, na maioria das vezes, é bem difícil. Muitas pessoas não desenvolvem a habilidade do autoconhecimento, principalmente por acharem que essa é uma tarefa conquistada apenas pelo lado espiritual ou que precise, necessariamente, do estímulo de um psicólogo.

In autoconhecimento

Por que praticar a Comunicação Não-Violenta no trabalho?

Fomentar um ambiente de trabalho colaborativo com relações interpessoais harmoniosas é um desafio para qualquer organização. Conflitos sempre existem. Afinal, onde há pessoas reunidas podem surgir divergências e antipatias pessoais naturalmente. No entanto, é possível que sua empresa alcance um clima organizacional positivo com algumas táticas, como a Comunicação Não-Violenta.

Esse tipo de abordagem estimula a empatia e o bem-estar. Vamos conhecê-la melhor? Acompanhe as próximas linhas!

Quais os fundamentos da comunicação não-violenta?

Nos anos 1960, o psicólogo norte-americano Marshall B. Rosenberg criou o processo de comunicação não-violenta (CNV), que busca facilitar o diálogo entre as pessoas a partir da observação e da empatia. No âmbito corporativo, o objetivo é conseguir melhorias no clima organizacional e na produtividade da empresa, sem humilhações, ofensas, coações e ameaças a nenhum colaborador.

Segundo Rosenberg, a base da CNV é a integração de 4 posicionamentos:

  1. Consciência: conjunto de princípios para uma vida de compaixão, colaboração, coragem e autenticidade.
  2. Linguagem: perceber que as palavras aproximam e distanciam pessoas.
  3. Comunicação: saber expressar desejos, ouvir o outro mesmo em desacordo e avançar para soluções eficazes.
  4. Meios de influência: compartilhar o “poder” com outros em vez de usar “poder sobre os outros”.

A partir disso, a ideia é oferecer aos colaboradores de todos os níveis hierárquicos habilidades de comunicação que transformem o ambiente de trabalho em um lugar melhor e atinjam resultados como:

  • Fortalecimento da lealdade;
  • eficiência na resolução de conflitos internos;
  • diminuição do estresse, ansiedade e absenteísmo;
  • aumento da produtividade de cada colaborador;
  • promoção do crescimento pessoal.

Quais os passos para a CNV funcionar?

A CNV consiste na absorção dos seguintes elementos-chave. Confira.

Observar sem julgamento

Evitar julgamentos é muito difícil, mas quando surgir algum problema é preciso dizer o que aconteceu de forma clara (baseando-se no fato) e sem generalismos. Por exemplo: “Você chegou atrasado 3 vezes nesta semana”, em vez de “Você sempre se atrasa!”. Ou ainda, “Gostaria que você não utilizasse o celular durante nossas reuniões, pois preciso de suas contribuições”, em vez de “Você só mexe no celular na reunião e não me ajuda”.

Dar nome aos sentimentos

Saiba determinar o que sente quando alguma situação desagrada e enfatize isso a seus pares. Isso ajuda que eles compreendam sua posição e cria empatia. Mas lembre-se de que você não pode culpar ninguém por seus sentimentos. Essa é uma questão sua. Afinal, todos somos vulneráveis. Sendo assim, seja claro com frases como: “Toda vez que você deixa de entregar algo no prazo me sinto inseguro”.

Identificar as necessidades e expressá-las

Nesse passo, tenha um olhar interno para determinar quais necessidades despertam certos sentimentos. Por exemplo: “Quando você grita, fico muito nervoso. Peço que me respeite, por favor”. Por outro lado, a empatia aumenta quando você tenta descobrir o que leva o outro a agir dessa forma e quais necessidades ele gostaria que fossem atendidas.

Fazer pedidos claros e viáveis

Para resolver o conflito, seus pedidos devem ser claros e factíveis. Não diga frases como: “Exijo que não grite!”. Prefira “Por favor, utilize um tom de voz mais baixo ao falar comigo”. Mas o principal é, ao final da conversa, certificar-se de que ambos tenham a mesma compreensão dos fatos. Encerre perguntando se o outro realmente entendeu o que foi dito.

Por que a CNV contribui para o clima organizacional?

Como você percebeu, o objetivo da comunicação não violenta é fortalecer vínculos. Sendo assim, implicitamente está o valor das relações interpessoais saudáveis. A partir do momento que os colaboradores se sentem motivados a desenvolver a empatia e a compaixão, o clima melhora, o nível de satisfação aumenta e a produtividade cresce. 

Isso porque o engajamento das pessoas com seu trabalho depende principalmente de um ambiente em equilíbrio, onde elas se sintam felizes e respeitadas.

Consagrada em todo o mundo, a Comunicação Não-Violenta pode ser aplicada em sua empresa desde já. Você verá como as relações harmoniosas fazem total diferença para a resolução de conflitos que muitas vezes são simples, mas que podem impactar o cotidiano.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o em suas redes sociais e debata com seus amigos sobre este tema relevante às relações humanas no trabalho!

In CNV, Comunicação Não-Violenta

Insatisfação crônica: veja o que fazer para superar essa situação

Ficar na zona de conforto não é positivo para quem deseja atingir o progresso e novas possibilidades. Ao mesmo tempo, é preciso ponderar algumas questões para não correr um risco que é cada vez mais comum: o da insatisfação crônica.

In insatisfação crônica

5 dicas incríveis de como aumentar a felicidade em situações difíceis

Ser feliz é essencial na vida de todo ser humano. Porém, muitos acham essa busca inalcançável. Isso não é verdade. É possível, sim, encontrar e saber como aumentar a felicidade até mesmo em situações difíceis.

In como aumentar a felicidade

Entenda como a prática da meditação auxilia no tratamento da depressão

A prática da meditação ajuda o cérebro em vários níveis. Ela é uma aliada para melhorar a atenção, o foco e a memória, bem como a produtividade. Além de tudo, a execução adequada é capaz de auxiliar o tratamento da depressão.

In Depressão, prática da meditação

Não sabe o que influencia a nossa inteligência? Entenda como o cérebro aprende!

cérebro é o centro do sistema nervoso no ser humano e em todos os animais vertebrados. Na verdade, é um dos maiores “processadores” do mundo. Ele processa informações, analisa todas com base na experiência de vida e apresenta tudo para nós em poucos segundos.

In como o cérebro aprende

Aula de meditação: entenda o que é e como ela funciona na prática

Você sabia que proporcionar uma aula de meditação nas empresas pode ser uma experiência muito enriquecedora para os colaboradores? Isso se justifica pelo fato de a prática proporcionar o aprimoramento da capacidade de foco e paciência, o que é benéfico para o cumprimento de metas e para melhorar a relação interpessoal, por exemplo.
In aula de meditação

Você está sabotando sua presença de liderança? Saiba o que fazer

Ter uma presença de liderança, expressão comumente utilizada no universo corporativo,  significa reunir um conjunto de características que ajudam o líder a comandar e engajar os liderados. Algumas delas são comprometimento, agilidade e equilíbrio emocional para entregar resultados satisfatórios.

O líder precisa conciliar as necessidades da empresa, colaboradores, clientes e parceiros, além de suas próprias. A falta de preparo para essas responsabilidades acarreta consequências que sabotam sua liderança, como estresse, queda na produtividade, conflitos que ficam sem resolução, falta de credibilidade interna e engajamento junto à sua equipe.

Essas falhas prejudicam o seu lado profissional e trazem, inclusive, malefícios para a sua saúde mental e física. Quer saber como corrigi-las? Confira, abaixo, o que fazer para não sabotar a sua presença de liderança!

Faça uma pausa com propósito

Escolha um período do dia para fazer uma pausa com propósito, com um objetivo específico, de preferência em momentos de estresse e ansiedade. Assim, você pode utilizá-lo para repor as suas energias ou colocar os seus pensamentos em ordem para posteriormente voltar ao trabalho com mais afinco.

Antes de uma reunião, reserve de 20 a 30 minutos antes do evento para se preparar. Respire fundo, contando 10 respirações, e visualize um ser muito consciente, pacífico e habilidoso. Busque refugiar-se nessa pessoa para se manter tranquilo mesmo que o tema da reunião seja conflituoso.

Use o estresse como um sinal

Ficar horas tentando resolver uma situação é estressante, o que faz com que você não consiga se concentrar e usar todo o seu potencial para solucionar o impasse. Por isso, é recomendável prestar atenção nos seus níveis de estresse no decorrer do dia e os utilizar como referência para fazer as suas pausas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% da população mundial sofre de estresse em algum momento da vida, tendo complicações físicas e comportamentais por causa disso.

Insistir em continuar trabalhando sem obter sucesso e estressado pode gerar mais estresse não só em você, mas também na sua equipe, e facilitar brigas e desentendimentos, levando o seu foco para outras coisas que não a resolução do problema inicial.

Note os padrões de pensamento durante as pausas

Preste atenção nos seus padrões de pensamento durante as pausas — isso lhe ajuda a entender melhor o seu comportamento e agir para neutralizar as falhas que estão sabotando a sua presença de liderança.

Caso tenha pensamentos relacionados à raiva ou irritação, não diga ou faça qualquer coisa na hora. Observe a sua respiração até se acalmar, tentando relaxar e restaurar-se antes de tomar uma atitude. Dessa forma, você evita tomar decisões erradas e que prejudicam sua performance profissional.

Familiarize-se com pensamentos reativos habituais

Aprimorar o autoconhecimento é imprescindível para lidar bem com as suas emoções. Para isso, familiarize-se com os pensamentos reativos habituais, que são os primeiros a surgirem na sua cabeça em qualquer situação, e deixe de agir sem fazer uma reflexão do que está acontecendo.

Por meio disso, você pode ter mais autocontrole sobre as suas projeções mentais e emocionais, aprendendo a gerenciar melhor os problemas pessoais e profissionais com maior harmonia, inteligência e precisão.

Utilize o mindfulness e a prática da atenção plena

Mindfulness é definido como um estado mental de controle sobre a capacidade de se concentrar nas atividades e sensações do presente. Essa prática usa técnicas de meditação para treinar o seu cérebro a alcançar melhores resultados nas tarefas realizadas, além de modificar a forma como você administra e reage diante de situações estressantes.

Em entrevista dada à revista Psychology Today, Jon Kabat-Zinn, PhD e Diretor da Clínica de Redução de Estresse, na Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, explica que meditar faz com que o praticante acabe com o estresse sem esquecer-se da sua ''dor'', ou seja, mantendo o foco na resolução dos problemas e objetivos.

Para aplicar o mindfuldness de maneira eficiente e manter a sua presença de liderança, é essencial contar com ajuda especializada, com profissionais capacitados para direcionar a sua concentração.

Quer saber como o mindfulness pode ajudar a ser um líder bem-sucedido? Entre em contato com a Call Daniel e descubra o que fazemos por você!

In presença de liderança