Daniel Burd

Daniel Burd
Daniel Burd (daniel.burd@calldaniel.com.br) Coach, Instrutor e Palestrante. Estudou Física na Universidade de São Paulo, autor de livros e apaixonado por Produtividade. É certificado na metodologia 6Ds para desenho de treinamentos e também na metodologia ROI (analise do retorno sobre investimento em treinamentos) onde foi capacitado pelo próprio Jack Phillips fundador do ROI Institute. Foi o primeiro certificado da David Allen no Brasil na metodologia GTD. Pelo sucesso de seus treinamentos, foi convidado para expandir suas fronteiras treinando profissionais em boa parte do mundo (África do Sul, Singapura, China, Europa, EUA, Canadá e vários países da América do Sul).
encontre-me aqui:

Novidades

Alerta máximo: 7 sintomas do stress que merecem sua atenção já!

O stress é uma condição preocupante porque pode levar a outras doenças, como transtorno de ansiedade, enxaqueca, gastrite, entre outras. Você já parou para pensar em todas essas complicações? A melhor maneira de prevenir esses problemas é mantendo-se atento aos sintomas do stress.

Tudo indica que poucas pessoas prestam atenção aos primeiros sinais dessa doença. De acordo com uma pesquisa do International Stress Management Association (Isma - Brasil), 70% dos brasileiros sofrem com stress.

No mundo todo, esse número, alarmantemente, para a OMS (Organização Mundial da Saúde), é ainda maior: chega a 90% das pessoas, sendo o local de trabalho um dos lugares mais comuns em que esse problema é desenvolvido.

Razões para o stress

Entre os principais motivos que causam ou levam o stress a ser desenvolvido, estão medicamentos, cafeína, prazos curtos para a realização de tarefas, privação de sono e repouso, problemas financeiros, problemas sociais, entre outras coisas.

Para as empresas, um colaborador com esses problemas tende a ter seu desempenho afetado. Entre outras coisas, ele pode causar queda da produtividade, erros desnecessários, atrasos na entrega de projetos, acidentes de trabalho, aumento dos custos com saúde, entre outras coisas.

Por isso, funcionários com problemas de stress podem representar, até mesmo, uma perda de receita significativa para a empresa.

A melhor maneira de prevenir isso? Mantendo a atenção direcionada aos sintomas. Confira!

1. Cansaço constante

A sensação de fadiga constante, mesmo depois de um fim de semana relaxante, é um sinal claro de que o corpo não descansou por completo. A pessoa estressada está sempre em sinal de alerta e, por isso, os momentos de lazer acabam não sendo 100% proveitosos.

Para o neurologista Renato Anghinah, coordenador do Núcleo de Neurologia do Hospital Samaritano de São Paulo, o cansaço constante também pode ser sintoma de doenças, como distúrbios de sono, depressão, hipotireoidismo, anemia, carência de determinadas vitaminas, doenças cardiovasculares e pulmonares e infecções.

"Por isso, é importante procurar auxílio médico para encontrar as causas do problema e seguir com um tratamento adequado", disse em entrevista ao UOL.

2. Irritabilidade

A sensação de que se está irritado o tempo todo também pode ser um dos sintomas do stress. Situações que antes não incomodavam e, agora, estão trazendo aborrecimentos facilmente, falta de paciência com coisas simples e mau humor quase constante são alguns sinais de esgotamento.

É claro que, no dia a dia, é comum se sentir irritado com as mais diversas situações. Diante disso, vale observar se a irritabilidade é constante ou se ser mais “esquentado” não é uma simples característica da pessoa.

3. Ganho de peso

Devido ao stress, muita gente desconta na comida as frustrações, ainda que inconscientemente. Além disso, essa condição diminui a prática de atividades físicas e, segundo a ciência, aumenta os níveis de cortisol. Com mais desse hormônio no sangue, o corpo poupa mais energia, o que se traduz em acúmulo de gordura e ganho de peso.

O próprio sobrepeso, independentemente de sua origem, pode causar outros problemas. Um estudo publicado na revista científica "New England Journal of Medicine", em 2017, sugere que mais de 2 bilhões de crianças e adultos sofrem problemas de saúde ligados ao sobrepeso, como diabetes tipo 2, doenças coronárias e câncer.

4. Sentimentos de solidão e abandono

O stress, quando em excesso, pode trazer uma resposta impulsiva a qualquer estímulo do ambiente. Ou seja, quem está estressado tende a reagir de modo agressivo ou, até mesmo, descontrolado em situações corriqueiras.

Ao perceber que está reagindo dessa maneira, a própria pessoa estressada pode começar a tomar atitudes que afastem as pessoas  afinal, ela não quer incomodar os outros e deixar de ficar estressada não é uma opção. Vira, então, uma bola de neve. A partir disso, a pessoa começa a se sentir sozinha, ao mesmo tempo em que não quer ter outros contatos.

5. Dores musculares

Como imprime tensão no organismo, o stress também leva a dores musculares. Os ombros erguidos são indicativos dessa condição e, frequentemente, surgem dores na coluna, no pescoço ou mesmo enxaquecas.

Pelo fato de o corpo estar sempre em estado de alerta, os músculos não relaxam, o que pode causar torções ou a própria fadiga.

É claro que é preciso cuidado para não criar um alarde desnecessário. Afinal, de acordo com o fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Maurício Garcia, as dores musculares são as mais prevalentes entre aquelas que incomodam uma pessoa ao longo da vida.

De acordo com ele, essas dores podem ser agudas ou crônicas. No primeiro caso, aparecem após um esforço físico muito grande e se manifestam durante um período específico de tempo; no segundo, são persistentes, destacou ementrevista ao UOL.

6. Sintomas físicos

Outros sintomas físicos incluem a falta de libido, a falta de energia para praticar esportes, trabalhar e estudar e realizar atividades cotidianas. Quem sofre de stress também pode apresentar problemas, como tonturas, náuseas, taquicardia e dor no peito. Em alguns casos, surgem comportamentos que antes não apareciam, como beber demais ou roer as unhas.

7. Falta de concentração

Hoje em dia, de certa forma, todo mundo diz ter problemas de concentração por causa da tecnologia e das diversas funções que as pessoas, cada vez mais, têm de desempenhar no trabalho.

No entanto, de acordo com o psiquiatra da Santa Casa do Rio de Janeiro, Fábio Barbirato, é impossível ver e fazer tudo perfeitamente. “A pessoa acaba cometendo erros grosseiros", disse à Folha de S. Paulo.

Então, como saber se a falta de concentração é sobrecarga, stress ou as duas coisas? Não existe uma resposta concreta a não ser ficar atento para observar se a falta de concentração é acompanhada de outros sintomas.

O stress está presente na vida de muitas pessoas que têm o dia a dia agitado e uma rotina corrida. É muito importante incentivar a consciência corporal, a avaliação de sinais e a leitura do próprio corpo. Ao detectar sintomas de stress, é preciso procurar ajuda, que pode ir desde a terapia até a prática de um hobby ou de meditação.

Procurando atividades que amenizam o stress, é bem mais fácil viver de uma forma mais leve, realizando uma atividade de cada vez. Gostou de saber mais sobre os sintomas do stress? Quer ter acesso a mais conteúdos como este? Siga nossas postagens do blog por meio da nossa newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades! Vamos lá!

In Redução do Stress, Merecem sua atenção, Sintomas do Stress, Sinal de alerta

Como meditar? 3 dicas práticas para começar a praticar a meditação

Não é novidade para ninguém que a meditação é uma prática bastante benéfica para todos — desde adultos até crianças. O problema, porém, está em saber como meditar e principalmente em parar de enrolar e conseguir finalmente incluir essa prática no dia a dia para obter seus benefícios.

Se você é uma dessas pessoas que vivem dizendo para si mesmo e para outros que pretende começar a meditar, mas não consegue encontrar um horário em sua agenda saiba que existem algumas coisas que você pode fazer para mudar essa situação. Confira a seguir 3 dicas que separamos especialmente para você!

In como meditar

Próximas turmas da Assertiva Mindfulness

A Call Daniel ministra um curso introdutório de 4 horas para o MindFulness que você já conhece. Hoje vamos oferecer aos praticantes de meditação uma excelente sugestão para aprofundamento das práticas: A Assertiva.

In formação de instrutores para mindfulness

Entenda o que a ciência diz sobre a meditação

A meditação é uma técnica para melhoria da qualidade de vida, assim como de aprimoramento do desempenho profissional. Ela pode ser aprendida e aplicada por cada pessoa que deseje melhorar sua eficiência e ampliar sua capacidade cognitiva, tanto quanto desfrutar de uma vida mais equilibrada. Mas, o que a ciência diz sobre a meditação?

De fato, a ciência tem se debruçado sobre o tema há alguns anos e reiteradamente encontrado resultados que confirmam os efeitos positivos da meditação que conduzem àquelas melhorias. Continue neste post e conheça alguns importantes resultados científicos que atestam a meditação como instrumento capaz de incrementar os resultados de qualquer profissional.

In o que a ciência diz sobre a meditação

Aprenda a promover saúde mental no trabalho com habilidades sociais

O cuidado com a mente é algo cada vez mais valorizado pelas empresas que têm encarado a saúde não apenas como algo físico, mas como um conjunto de fatores que podem impactar no desempenho do funcionário. E você, já parou para pensar na questão da saúde mental no trabalho? Dados da Previdência Social de 2016 mostram que cerca de 5% dos afastamentos estão relacionados à doenças mentais, sendo grande parte ligadas ao estresse.

Contudo, existe uma série de habilidades que podem fazer com que os colaboradores tenham sua saúde mental em dia. A liderança, por exemplo, pode fazer com que a pessoa tome frente e acredite no potencial de seus colegas. 

In saúde mental no trabalho

Qual a forma correta de meditar?

Desde o colapso financeiro que acometeu os quatro cantos do globo no fim da década passada, nada parece mais deprimente do que as notícias sobre economias defasadas, demissões e falta de verbas. Diante desse cenário, muitas pessoas — e também empresas — não dispõem de reservas para estimular a inteligência emocional em períodos de mudanças e incertezas.

Sendo assim, as preocupações elevam os índices de estresse, ansiedade, desânimo, falta de concentração e atestados médicos por problemas de saúde. Mas a solução pode estar mais acessível do que se imagina, pois com a forma correta de meditar é possível melhorar a capacidade de foco e a produtividade: basta um treinamento simples e assertivo.

Dê uma pausa para respirar, esqueça o misticismo relacionado à meditação e entenda de uma vez por todas como a forma correta de meditar promove inovação, criatividade e sucesso em todas as áreas da vida. Vamos lá!

Atenção plena

Provavelmente você está acostumado a ouvir recomendações voltadas para a importância de estar sempre atento, desde quando era pequeno. Seja para atravessar a rua, fazer uma prova ou trabalhar, a atenção é uma das capacidades mais imperativas da mente humana.

É aí que entra a atenção plena — ou mindfulness —, uma técnica que vem alterando os padrões culturais ao redor do mundo. A prática é milenar, mas ganhou respaldo médico e científico nos últimos 30 anos, em decorrência do avanço das aflições humanas, do sofrimento psicológico, da pressa e da exaustão mental.

Motivos para meditar

Para quem anda desatento, estressado, desestimulado profissionalmente e excessivamente cansado, meditar da forma correta funciona como um resgate à atenção plena e, consequentemente, acarreta melhorias diversas, tais como:

  • clareza do pensamento;

  • tomadas de decisão e capacidade de resolver conflitos;

  • eficácia das relações pessoais ou de trabalho;

  • satisfação profissional;

  • renovação da vitalidade; e

  • o potencial para realizar tarefas que exigem maior dedicação.

Além disso, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard concluiu que a meditação reconstrói, literalmente, a massa cinzenta do cérebro em apenas oito semanas, contribuindo para a melhoria do estado de espírito, aprendizagem, memória, autoconsciência, compaixão e introspecção.

Dessa forma, meditando, diariamente, você adquirirá efeitos profundos e duradouros de bem-estar, na gestão do stress, em sua vida pessoal e profissional e também nos relacionamentos em geral.

Forma correta de meditar: o segredo dos 4 P’s

Independente do motivo que te leva a buscar a meditação ou uma conexão interior, conhecer os 4 P’s da meditação é imprescindível, pois eles simplificam a forma correta de meditar e representam a chave para corresponder ao objetivo inicial e assegurar o sucesso do treino. Confira:

Postura

Adote uma postura confortável, mas que não relaxe a ponto de dormir. Lembre-se que o corpo deve ficar aconchegado, mas a mente deve permanecer atenta.

Propósito

Por que você decidiu meditar e o que pretende atingir com essa atividade? Tenha isso bastante claro em sua mente e foque nisso.

Prática

A prática gira em torno de uma respiração lenta e profunda. Expire calmamente e pronto! Essa é outra vantagem da meditação focada, pois, separando apenas alguns minutinhos do seu dia para seguir esses passos, você já apresentará avanços formidáveis.

Princípio

Muitos acham que meditar é "esvaziar a mente". No entanto, esse conceito não poderia estar mais errado! Fato é que os pensamentos são involuntários, e não é possível cessa-los. Por isso, o foco da meditação correta está no desenvolvimento da sua capacidade de concentração nos pensamentos certos.  

Ou seja, toda vez que você perceber que se distraiu, ao invés de se aborrecer, apenas lembre-se de voltar a pensar no propósito escolhido.

Ginástica da mente

Você acabou de compreender que o objetivo principal da meditação é aprimorar as capacidades do músculo cerebral, a fim de colher maior motivação profissional, melhorar a capacidade de concentração, combater o estressee a ansiedade e usufruir de todos os benefícios funcionais do aprendizado.

Dicas para uma meditação de sucesso

Além de tudo o que foi citado anteriormente, existem alguns truques que podem ser utilizados para favorecer uma melhor prática da meditação, ou seja, fazer com que ela seja mais fluida, simplificada e bem-sucedida.

Estabeleça uma rotina

Ao estabelecer uma rotina você associa um local e horário à prática e favorece a realização diária dessa atividade. Além disso, apenas com uma prática regular é possível adquirir os seus inúmeros benefícios.

Para isso, é necessário escolher um horário que esteja favorável para você meditar todos os dias. Esse horário deve ser, preferencialmente, antes de refeições, pois logo após comer é possível que você sinta preguiça e vontade de cochilar. Ao definir um horário para a prática você deve dispensar outros compromissos para aquele momento, priorizando a rotina da meditação.

Você pode também criar seus próprios hábitos, fazendo coisas que favoreçam o seu relaxamento. Se você acha, por exemplo, que tomar um banho morno lhe ajuda a preparar o seu corpo e mente para essa atividade, então você também pode incluí-la em sua rotina.

Defina um local para a prática

O local deve ser tranquilo, confortável e onde você tem certeza de que não será interrompido no momento escolhido. Um bom local favorece a tranquilidade da sua mente e do seu corpo na hora da concentração.

Escolha uma posição confortável

A posição ideal varia de pessoa para pessoa, pois é aquela na qual você se sente mais confortável. Sendo assim, você pode testar diferentes poses para meditar, como deitado sentado com ou sem almofada e outras posições. Uma posição desconfortável poderá atrapalhar o seu foco. Além disso, não se esqueça de sempre manter uma postura ereta.

Comece com aquecimentos

Realizar aquecimentos ou exercícios leves, como alongamentos, pode ajudar a preparar seu corpo para a prática e ajudar na postura.

Não force a meditação

O estado de foco alcançado pela meditação deve vir de forma fluida e tranquila. É um erro tentar forçar esse estado, pois é improvável que funcione. Deixe a prática fluir, é comum que isso não seja uma coisa fácil nas primeiras vezes. Caso isso aconteça não se preocupe, afinal, é a prática que leva à perfeição e com a sua rotina de meditação você conseguirá alcançar o foco desejado com o tempo.

Tenha atenção na respiração

A respiração correta é uma grande aliada na prática da meditação. Você pode respirar lenta e profundamente para acalmar a mente e o corpo. Mas não só isso, ao prestar atenção na respiração você consegue tirar o foco dos pensamentos por um momento, servindo como técnica para alcançar o foco.

Volte aos poucos

Ao final da prática o ideal é sair aos poucos desse estado. Para isso normalize sua respiração, sinta todo seu corpo e abra os olhos lentamente, para só depois se levantar tranquilamente. E então, a atividade estará finalizada.

Agora que você já sabe a forma correta de meditar, é só focar nos propósitos, estabelecer a sua rotina e focar em nossas dicas. Dessa maneira é possível tirar a sua mente do sedentarismo, proporcionando a ela a atividade adequada para uma vida mais saudável, produtiva e promissora.

Gostou do artigo? Então assine agora mesmo a nossa newsletter e receba as nossas atualizações com muitas novidades e mais textos como este em seu e-mail! Até a próxima!

In forma correta de meditar, Atenção plena, Motivos para meditar