Conheça o programa de Mindfulness criado dentro do Google: o Search Inside Yourself

A inteligência emocional é cada vez mais aprimorada e exigida dentro das empresas. Nesse caminho, surgiu o Search Inside Yourself, um programa com abordagem de mindfulness criada dentro da gigante Google. A técnica faz com que os colaboradores treinem a mente para aumentar a produtividade, exercitar a empatia e manter o foco em suas tarefas. 

O responsável por isso foi o engenheiro de computação Chade-Meng Tan, que desenvolveu o programa enquanto fez parte do quadro de funcionários da Google. Hoje, Tan é reconhecido no mundo todo e seu livro foi um best seller inclusive no Brasil, onde recebeu o nome de "Procure dentro de você".

Mas o que é esse programa e como ele ajuda nas atividades diárias? Para esclarecer esse assunto para você, preparamos um post completo. Confira!

O que é o Search Inside Yourself?

O Search Inside Yourself é um programa que prega o treinamento mental para ajudar as pessoas a lidarem de forma positiva com os desafios diários no ambiente profissional. Baseado em neurociência, a prática parte so mindfulness, também conhecido como "atenção plena".

Ao contrário do que muitos imaginam, a concentração e a meditação não são o ato de esvaziar a mente, mas sim de focar no que precisa ser feito de forma a aumentar a produtividade e a harmonia dentro das organizações.

O programa desenvolve a empatia e estimula a colaboração entre colegas, fazendo com que a carga emocional durante as atividades profissionais seja amenizada e tudo seja concluído com rapidez e excelência.

Como funciona o programa?

O Search Inside Yourself, de acordo com o seu criador, é dividido em três partes. Conheça quais são e como elas podem ser benéficas.

Parte I: treinamento da atenção

Para Tan, a atenção é o ponto focal de nossas habilidades. Por isso, qualquer treinamento de inteligência emocional deve ser iniciado por meio da atenção e da concentração.

É ela que ajuda os profissionais a manterem a mente tranquila, mas, ao mesmo tempo, clara e focada no que precisa ser desenvolvido. A atenção deve ser treinada para que foque em um objetivo específico, sem distrações que podem levar à procrastinação e à redução da produtividade.

Parte II: autoconhecimento

Uma vez treinada a atenção, agora fica mais claro entender os fluxos emocional e mental. A ideia, aqui, é entender a dinâmica pessoal para praticar o autocontrole e estimular a inteligência emocional.

Nessa parte, é essencial que o indivíduo preste atenção às suas reações e à forma como sua mente trabalha. Treinamentos simples podem fazer grande diferença na diminuição da ansiedade e do estresse causado pelos desafios profissionais.

Parte III: novos hábitos

Os novos hábitos dependem de nós e são criados por meio de treinamento mental. A ideia é manter o cérebro sempre atento e pronto para novos instintos. Uma dica dada como exemplo por Tan é começar a pensar no bem de uma outra pessoa sempre que cruzar com ela.

Isso faz com que o inconsciente veja esse novo padrão como um instinto e crie, aos poucos, o hábito de olhar para o outro com mais compaixão e generosidade. Novos hábitos ajudam o cérebro a se abrir para o novo e a criar novas experiências no ambiente de trabalho.

Quando a atenção se volta sistematicamente ao corpo (por meio da consciência sobre as atividades sensoriais de cada um) e à respiração, as percepções mentais sobre as emoções ampliam-se. Você fica mais ágil com seus próprios impulsos e pensamentos.

Na prática, o que vemos com a implantação do Search Inside Yourself é uma harmonia maior nas relações interpessoais. Além do mais, a prática da atenção total funciona como uma ginástica mental, permitindo que o desempenho seja cada vez melhor.

O sucesso do programa é tão grande que ele já foi ministrado em mais de 30 países. O melhor de tudo isso é que, além das contribuições profissionais, os exercícios podem melhorar, ainda, a vida pessoal desses trabalhadores.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre o Search Inside Yourself e o mindfulness? Então compartilhe esse post nas suas redes sociais e estimule a inteligência emocional de outras pessoas!

In search inside yourself

Saiba o que é a respiração consciente e conheça os seus benefícios

Apesar de a respiração ser uma ação automática, esse é um ato de extrema importância em nossa qualidade de vida e passível de aprimoramento por meio de algumas técnicas. A maior parte das pessoas não aproveita toda a sua potencialidade e, muitas vezes, o exercício de inspiração e expiração não é feito de forma completa e adequada.

Essa atividade, feita de maneira incorreta, impossibilita a entrada adequada de ar em todo o pulmão, e o gás carbônico que não é completamente expelido pode causar pequenos desconfortos. Sabendo disso, mostraremos nesse post como a técnica da respiração consciente pode ser benéfica para o seu dia a dia. Confira!

In respiração consciente

7 exercícios de meditação para você praticar

A meditação é uma prática bastante benéfica e muito fácil de incorporar na nossa rotina. Ela pode nos auxiliar a colocar os pensamentos em ordem e ter maior tranquilidade no dia a dia, por exemplo. Mas uma dúvida pode surgir em quem ainda não tem familiaridade com a prática: como praticar meditação?

Além disso, o que muitas pessoas não sabem é que é possível aumentar a produtividade apenas incorporando a técnica no ambiente de trabalho. Assim, uma equipe inteira consegue melhorar seu desenvolvimento coletivo e cada colaborador pode cuidar da saúde mental.

Que tal, então, aprender como praticar meditação? Preparamos uma lista com informações e alguns exercícios simples para quem está interessado em experimentar. Acompanhe!

In exercícios de meditação

Entenda como melhorar as relações interpessoais no trabalho

Compaixão, segundo as tradições budistas, é a aptidão de entender a situação emocional de outra pessoa e de si mesmo. Várias vezes se confunde compaixão com empatia, mas a primeira tem um componente a mais na vontade de amenizar ou conter o sofrimento dos indivíduos.

A compaixão está associada a algo além do que simplesmente se colocar no lugar do outro e verdadeiramente querer entendê-lo. Abrange ter uma visão completamente diferente da percepção que temos das pessoas e, a partir disso, evoluir o nosso interior.

Esse sentimento é muito benéfico nas relações interpessoais no trabalho, mas é pouco disseminado e compreendido. Por isso, neste post, você entenderá melhor sobre as vantagens da compaixão dentro das empresas. Confira!

Qual é o papel da compaixão nas relações interpessoais no trabalho?

Na antiga tradição do Tibete, conhecida por propagar a meditação e a reflexão da vida, a compaixão é colocada no ponto mais elevado de um ideal espiritual humano. Para as pessoas da região, esse sentimento deve ser uma característica fundamental na existência de qualquer ser humano.

A concepção da compaixão se inicia primeiramente entre nós mesmos, a partir da compreensão de nossos pensamentos, atitudes e erros. Exercitar esse tipo de sentimento pode aflorar o auto perdão e o autoconhecimento.

Se semearmos metodicamente a compaixão que nos cerca diariamente, o interior do nosso cérebro começa a absorver o sentimento de amor com mais constância e para uma maior quantidade de pessoas. A felicidade também fica comprometida de forma positiva.

Partindo dessa premissa, fica evidente que o sentimento de compaixão é uma condição que pode fortalecer os funcionários e integrantes de empresas, se praticado diariamente.

Ter a condição plena de lidar e contornar os problemas difíceis na rotina de uma empresa (resiliência), construir uma identidade profissional elevada, modificar a saúde e a felicidade de uma forma positiva, unir os funcionários e inspirá-los, são alguns exemplos dos efeitos da compaixão no mercado e no dia a dia profissional.

A prática da compaixão no ambiente de trabalho não altera apenas a mentalidade dos funcionários individualmente, mas toda a ambientação da empresa, que se torna um local colaborativo, organizado e criativo. Inclusive, especialistas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, atestaram a importância de cultivar uma cultura de compaixão no local de trabalho.

Como a meditação ajuda a aflorar a compaixão?

Com o intuito de semear a compaixão no ambiente de trabalho, diversas empresas em todo o mundo começaram a implementar exercícios de meditação. Essas atividades têm se mostrado extremamente relevantes para a satisfação e o bom desempenho das equipes.

Junto a isso, o funcionário que pratica a meditação com constância se revela muito mais calmo diante das dificuldades e transtornos da rotina conturbada de uma empresa. Além disso, a criatividade e a inovação são afloradas, deixando de lado o modo automático e o cansaço mental.

As relações interpessoais no trabalho são aprimoradas quando se pratica a meditação, pois os funcionários passam a ter a devida atenção aos problemas dos outros e, consequentemente, aos problemas da empresa, segundo informações da BBC Capital.

Para você não ficar por fora de todas as novidades sobre produtividade e desempenho no ambiente de trabalho, a Call Daniel elaborou uma newsletter repleta de informações essenciais. Assine e se mantenha atualizado!

In relações interpessoais no trabalho

Confira dicas de como ter mais resiliência no trabalho

Como você se comporta diante de uma situação favorável, que gera uma enorme felicidade? E como reage a um grande problema familiar ou profissional? Sua resposta é positiva em ambos os casos? Qual é a sua postura diante de grandes mudanças na empresa? Você tem resiliência no trabalho?

Essas são apenas algumas perguntas que nos levam ao assunto deste post. Entender o que significa resiliência no trabalho pode ser a chave para dias melhores na sua vida profissional, diminuir o estresse e garantir o estabelecimento de padrões mentais para lidar sabiamente com as adversidades.

Vamos entender o que é resiliência e como desenvolvê-la no âmbito profissional? Acompanhe nosso artigo!

O que o significa o termo resiliência?

Resiliência é um termo derivado do latim resilire (algo como saltar de novo, voltar à antiga forma). Em voga nos dias de hoje, é um termo utilizado em várias áreas do conhecimento.

De acordo com o Dicionário Caldas Aulete, na Física é a “propriedade de um material retornar à forma ou posição original” após sofrer uma tensão. Na Biologia, diz respeito à “Capacidade de um ecossistema retornar à condição original de equilíbrio” depois de suportar alterações ou perturbações. Já em sentido figurado, trazendo para nossa vida, resiliência refere-se à habilidade de “resistir, lidar e reagir de modo positivo em situações adversas”.

Todos os dias, quando aceitamos sair da cama e enfrentar o mundo, não sabemos o que nos espera. Pode ser um dia vitorioso ou repleto de tensões, problemas, discussões, mudanças e até perdas repentinas.

Por isso, todos precisam saber enfrentar esses obstáculos de frente e tirar o melhor proveito das situações.

Quem desenvolve a resiliência tem muito mais chances de atingir metas e objetivos, ganhar respeito, conseguir chegar aonde desejam e, sobretudo, alcançar a tão desejada autorrealização profissional e pessoal.  Para tanto, é preciso controlar os fantasmas interiores, colocar-se no lugar do outro, ter atitudes positivas e encontrar soluções em meio ao caos.

Como desenvolver a resiliência no trabalho?

De acordo com Gordon Tinline, especialista em psicologia de negócios, muitas situações podem testar nossa capacidade de resiliência. Ele explica que “não se deve mergulhar em uma situação conflitante sem ter condições de dar um passo adiante”.

Embora desenvolver a resiliência no trabalho não seja uma tarefa tão simples, com algumas práticas de equilíbrio emocional e concentração, essa habilidade pode ser melhor administrada. Confira algumas dicas!

Desenvolva a inteligência emocional

A resiliência é uma das competências ligadas à inteligência emocional.  É muito comum pessoas, tomadas pelas emoções, não saberem lidar com problemas. Quando essas habilidades são desenvolvidas, é possível agir com maior autocontrole diante das adversidades.

Saiba analisar o contexto

O problema é do tamanho que parece, ou está inflado? Enxergue a questão de forma crítica e procure pensar que soluções seriam possíveis para o problema instaurado e estabeleça um plano de ação.

Seja autoconfiante

A autoconfiança é primordial para uma visão positiva diante de qualquer desafio. Acredite em você, no seu conhecimento e capacidade para vencer. Dessa forma, enxergar as coisas de forma positiva torna-se muito mais simples.

Conquiste as pessoas

Não é porque estamos em meio ao caos que não é possível conquistar as pessoas. Um exemplo recente vem da tragédia de Brumadinho (MG). Com empatia e segurança, o jovem tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, destacou-se ao conseguir tranquilizar a população dando informações pertinentes e palavras reconfortantes de esperança.

Como a meditação pode ajudar?

A meditação é uma prática que nos ajuda na limpeza da mente e recuperação dos pensamentos positivos. Além disso, contribui com o reequilíbrio do organismo, controle da respiração, relaxamento muscular, estabilização dos batimentos cardíacos, diminui o estresse, a ansiedade e até a depressão. Também, é uma poderosa forma de termos insights para encontrarmos a solução dos nossos problemas.

Como você pôde perceber, a resiliência no trabalho cria um ambiente favorável inclusive nos momentos de  crise. Dessa forma, desenvolver habilidades como essa em sua empresa por meio treinamentos de mindfulness e práticas meditativas pode gerar resultados surpreendentes para os negócios. Afinal de contas, o capital humano é seu bem mais precioso.

Quer saber como nossos treinamentos podem ajudar os colaboradores de sua organização? Entre em contato conosco e teremos o maior prazer em atender você!

In resiliência no trabalho

Conheça os 5 maiores mitos da meditação

Técnica que surgiu na Índia há quase três mil anos, a meditação é vista ainda hoje como algo totalmente voltado para a espiritualização e, muitas das vezes, relacionada a práticas religiosas. Sim, várias escolas zen-budistas utilizam dessa estratégia. No entanto, existem diversos mitos da meditação que precisam quanto antes cair por terra.

A meditação nada mais é do que a prática de atingir mais concentração e foco no dia a dia. Dispomos, inclusive, de várias técnicas que permitem que qualquer pessoa possa praticá-la — crianças, adolescentes, adultos e até idosos.

Os benefícios à saúde física e mental também são muitos e é por isso que precisamos desmistificar algumas ideias equivocadas. Confira abaixo as principais e mude hoje mesmo sua concepção a respeito do assunto!

1. Somente pessoas espiritualizadas conseguem meditar

Como dissemos, a prática da meditação sempre esteve muito ligada à figura de monges, religiões e preceitos budistas. É aceitável, uma vez que sua origem é oriental. Contudo, qualquer pessoa de qualquer religião — sem religião, inclusive — pode meditar.

Ela não é, necessariamente, um exercício de espiritualidade, mas sim de autocuidado com mente. Pesquisas já comprovaram que a meditação reduz a agitação cerebral, deixando-nos mais calmos e menos ansiosos.

Além disso, a meditação faz com que o organismo produza mais dopamina, serotonina e norepinefrina, o que causa a sensação de bem-estar. O médico e professor de medicina comportamental da Universidade da Colúmbia, Richard Sloan, ainda afirma que o nosso cérebro muda constantemente com a prática da meditação, assim como ocorre com qualquer outra atividade — ou seja, independe de algo diretamente ligado à espiritualidade.

2. É necessário criar uma rotina de meditação

Atrelado ao mito anterior, este espanta várias pessoas da prática da meditação, pois mexe com a sua disponibilidade de tempo. Diferentemente do que todo mundo pensa, não é necessário ficar horas meditando, muito menos determinar horários exaustivos e diários.

Universidade da Geórgia mostrou como apenas 15 minutos de meditação, duas vezes ao dia, conseguiu melhorar a sobrecarga cardíaca de 31 adolescentes americanos hipertensos. Bem pouco, não é mesmo? Contudo, cada um sabe o quanto e quando pode meditar. Esse deve ser um momento de crescimento pessoal e relaxamento, e não um compromisso inadiável, que vai gerar ansiedade e estresse.

3. Quem não tem boa concentração não pode meditar

Muitas pessoas desistem antes de tentar, pois acham que a meditação exige uma alta dose de concentração. Na verdade, esse é o resultado da sua prática. De acordo com pesquisas da Universidade da Califórnia, a meditação melhorou o desempenho e a concentração de estudantes. 

Quando começamos a meditar, nossos pensamentos realmente ficam soltos e a mente livre para que possamos sentir, refletir, analisar ou, simplesmente, deixar fluir. Por isso, não precisa esperar ter mais concentração para começar a meditar. Comece a meditar, mesmo pouco, e veja resultados.

4. Só existe uma única forma de meditar

Assim como não devemos nos prender na espiritualização, é preciso ressaltar que existem inúmeras formas de fazer meditação. A mais conhecida é aquela com olhos fechados, é claro. Mas também se pode meditar de olhos abertos, em movimento e até mesmo enquanto estamos realizando nossas atividades diárias, como é o caso do mindfulness

5. Meditar é esvaziar a mente

Dando continuidade ao último tópico, um dos grandes mitos da meditação é o fato de achar que a técnica só funciona se você esvazia e silencia a mente. Errado. É totalmente natural lidar com os pensamentos, uma vez que eles não podem ser totalmente controlados, como é discutido aqui, aqui e aqui. A ideia é aprender a lidar com todos eles, filtrá-los, compreendê-los e, a partir disso, transformar nossa vivência a partir de novas atitudes.

Agora que você já conhece todos esses mitos da meditação, também é importante lembrar o quanto essa prática faz bem para a saúde física e mental. Para se ter uma ideia, a prática promove o fortalecimento imunológico e, segundo pesquisas divulgadas no American Journal of Cardiology, algumas técnicas conseguem reduzir em 49% as mortes por câncer, 30% por doenças cardiovasculares e 23% por doenças em geral.

Agora que os mitos da meditação estão derrubados, é hora de aprender um pouco mais: descubra a solução para o problema da ansiedade!

In mitos da meditação

Você sabe como trabalhar com produtividade máxima? Descubra aqui!

Sistematicamente, observamos diversas situações de funcionários de empresas ao redor do mundo se perdendo em volumosas quantidades de tarefas diárias de trabalho.

São vários motivos responsáveis por essa dificuldade: por exemplo, a distração com assuntos irrelevantes dentro de um ambiente de trabalho, com a consequente desorganização do tempo. Hábitos ruins, como a má alimentação, também podem potencializar esse problema.

Se as demandas da sua rotina de trabalho não estão sendo executadas na maneira que você gostaria, seja pelo cansaço ou pela falta de tempo, não perca a leitura deste post. Mostraremos, a seguir, estratégias e dicas muito interessantes para que você atinja a produtividade máxima no seu trabalho. Confira!

Como ter produtividade máxima no trabalho? 

Organizar suas tarefas

Organizar as tarefas primordiais da rotina de trabalho é essencial não só para ter consciência do que deve ser feito, mas também para limpar a mente desse tipo de preocupação.

Uma dica é anotar as atividades que devem ser feitas, seja no bloco de notas do celular, planilhas no computador ou em uma agenda de papel. O principal é que você tenha fácil acesso a essas informações. Além disso, separe as tarefas por prioridades e horários.

A partir do momento que os afazeres forem estruturados devidamente, a possibilidade de aumento de desempenho no trabalho aumenta consideravelmente. Esse método é observado em análises e dicas de grandes especialistas como Daniel Burd, expert em Produtividade e Gestão do Tempo da Call Daniel (veja essas dicas clicando aqui).

Administrar o tempo

Há uma falsa ideia de que os profissionais que ficam horas e horas trabalhando em casa e no local de serviço são melhores profissionais. Na realidade, isso pode estar associado a falta de administração do tempo, que pode ser prejudicial para a saúde física e mental.

Por conta disso, passe a controlar o tempo trabalhado, se possível fazendo intervalos de 10 a 15 minutos para cada hora de serviço, por exemplo. Os intervalos de descanso podem ser arbitrados de qualquer forma, desde que se tenha regularidade e dedicação. Os efeitos disso são evidentes, pois alivia o estresse e abastece a energia, podendo produzir mais. Essa metodologia já foi incorporada em setores de grandes empresas, como a Microsoft, Natura e Buckman Brasil.

Preocupar com a alimentação

Pode não parecer, mas a sua dieta interfere muito no seu desempenho profissional. Diante disso, controlar a alimentação é muito importante para a saúde e performance no trabalho, conforme um estudo realizado na Universidade de Brigham Young, nos Estados Unidos.

Reduzir ou controlar o consumo de café deve ser levado em consideração, pois o seu excesso pode causar dores de cabeça e agitação. Aumentar a quantidade de água ingerida também é uma boa dica, pois a hidratação facilita a melhor circulação de oxigênio no nosso cérebro e células.

Quanto aos alimentos, opte por aqueles ricos em proteínas e fibras. Comidas pesadas ricas em sódio e açúcar influenciam na energia que você usa para trabalhar, pois a digestão atua lentamente em nosso corpo para esse tipo de alimento.

Qual é a importância do mindfulness nas empresas?

O mindfulness é um ideal muito antigo de pensamento, mas que foi modernizado para se adaptar à rotina agitada enfrentada atualmente. É a competência em focar o pensamento da mente humana no presente, fugindo do modo automático, ou seja, é o estado de espírito extensivamente concentrado. É uma prática amplamente disseminada pelo líder espiritual Dalai-lama.

Diante disso, pode-se dizer que o mindfulness é uma habilidade intrínseca ao ser humano, porém pouco observada. Quem exercita esse tipo de pensamento atinge uma condição mental de domínio e eficácia mental muito elevado, o que favorece a concentração no trabalho e nos compromissos do dia a dia.

Aplicar práticas de mindfulness nas empresas facilita na ampliação de criatividade, produtividade máxima e resolução de problemas importantes dentro de uma empresa. Funcionários com melhor qualidade de vida e menos ansiosos e estressados influenciam drasticamente na produtividade profissional.

Se você se interessou por este conteúdo, então conheça e entre em contato com a Call Daniel, empresa referência em treinamentos de alta qualidade para o aumento de produtividade em companhias de todo o Brasil.

In produtividade máxima

Como desenvolver a comunicação entre os colaboradores na empresa? Descubra aqui!

Você sabe como desenvolver a comunicação na sua empresa? Essa tem sido uma das preocupações mais crescente entre os gestores e líderes. Pois ela é importante para alcançar os resultados organizacionais, uma vez que uma boa comunicação é capaz de gerar mais satisfação, motivação e produtividade.

Sem uma boa comunicação interna, e entre funcionários, a sua empresa pode ter problemas. Neste artigo, você vai ver algumas dicas para melhorar a comunicação da sua empresa e como o mindfulness pode ajudar nesse processo. Continue acompanhando a leitura para descobrir!

Por que a comunicação é importante no ambiente de trabalho?

A comunicação é a base de todos os relacionamentos. No ambiente corporativo, é a principal responsável pelo sucesso ou fracasso das atividades desempenhadas tanto por colaboradores quanto por gestores. De acordo com o Guia PMBOK 6ª edição, da Project Management Institute (PMI), 76% das empresas acreditam que problemas de comunicação são responsáveis pelo fracasso de projetos.

Pois a falta de uma boa comunicação pode prejudicar o relacionamento entre a equipe, como também o desempenho dos profissionais nas suas tarefas diárias. Dentre os problemas que podem ser gerados estão:

  • falta de feedback, que permitiria corrigir falhas e propor melhorias nos processos;

  • excessos de retrabalhos devido à falta de uma comunicação mais clara e objetiva;

  • dificuldade nas relações interpessoais que poderia ser evitada com uma liderança mais bem preparada para conduzir os conflitos;

  • fofocas e boatos que podem surgir pela ausência de canais de comunicação eficientes;

  • informações incompletas por falhas na comunicação, como o uso inadequado da linguagem e incerteza nos dados informados.

Como desenvolver uma boa comunicação na empresa?

O primeiro passo para implementar uma boa comunicação na empresa é engajar as lideranças como comunicadores. Esse tem sido um dos maiores desafios da comunicação interna, como aponta uma pesquisa daSocialBase.

Para tanto, as empresas pesquisadas tem interesse em investir em treinamentos para os gestores se comunicarem melhor. Também é necessário definir o meio de comunicação mais adequado para a sua empresa.

Segundo a mesma pesquisa, uma as iniciativas mais eficazes para se comunicar com os colaboradores são gestor imediato (96%), e-mail (93%), colegas multiplicadores (91%) e intranet (84%).

Para obter o sucesso na comunicação, é importante encorajar a comunicação bidirecional com os colaboradores, como aponta uma pesquisa da GateHouse. Para tanto, gestor, seja um bom ouvinte, valorize a opinião deles e de um feedback para conquistar o seu respeito e atenção.

Outro passo fundamental é a compreensão da informação. Então, tome cuidado com as palavras escolhidas para não gerar percepções e reações negativas. Não se esqueça de que todas as informações devem ser repassadas de maneira clara, segura e objetiva. 

Como o mindfulness pode ajudar nesse processo?

Você sabe o que é mindfulness? Também conhecido como a psicologia da atenção plena, ele consiste em trabalhar a mente para ter mais foco no momento presente. Com o mindfulness, a pessoa é capaz de compreender melhor a si mesmo e as pessoas ao seu redor.

A técnica também ajuda a lidar melhor com as situações de estresse e conflito, a desenvolver a inteligência emocional, a aumentar a capacidade de concentração, incentivar a criatividade, melhorar os relacionamentos interpessoais e aumentar a capacidade de memória.

Como isso pode ser aplicado na comunicação? Ao se comunicar, esteja atento à comunicação verbal e não verbal, pois isso permite perceber como transmitimos algo por meio de palavras ou gestos. Nesse processo, ouça o outro sem interrompê-lo.

Lembre-se de demonstrar interesse no que está sendo dito. Para tanto, mantenha o contato visual enquanto ouve. Após escutar, dê um feedback para compreender melhor o que foi dito e, assim, evitar mal-entendidos.

Ao falar, preste atenção no tom de voz e na linguagem corporal para evitar palavras e expressões agressivas. Observe o que está sendo dito e se está adequado ao assunto da conversa.

Saber comunicar-se é essencial para todos os profissionais. Mas fazer isso da forma correta é um diferencial que pode ser desenvolvido para garantir o sucesso dos relacionamentos e do desempenho das atividades no trabalho.

Agora que você já sabe como desenvolver a comunicação na sua empresa, já está pronto para colocar em prática as nossas dicas, como a prática da atenção plena!

Se você deseja potencializar o processo de comunicação entre a sua equipe, entre em contato conosco para saber mais sobre o mindfulness.

In como desenvolver a comunicação

Por que a inteligência emocional deve ser um critério de contratação?

Os candidatos a vagas de trabalho estão sendo avaliados por novos critérios, pois os recrutadores não buscam apenas profissionais inteligentes com formação ou especialização. Hoje em dia, também é avaliada a maneira como eles lidam com as outras pessoas por meio da análise de sua inteligência emocional.

In inteligência emocional